A superstição gospel

// 03 janeiro, 2018 // Artigos

Entendo o empenho que muitos fazem para passar a virada de ano de joelhos na igreja, mas não posso aceitar que isso venha ser colocado como regra de fé. Reverenciar apenas o momento em que se inicia o ano e não ter atitudes dignas de arrependimento no decorrer do mesmo ano, é a mesma coisa que chegar em um restaurante pedir a entrada e depois jogar o prato principal no lixo. Virar o ano de joelhos não anula o ter que perdoar durante o ano todo, não anula ter que amar o próximo, não anula a necessidade de plantar para colher, não anula vencer as tentações, não anula o comprometimento com o Reino durante o ano inteiro.

Precisamos entender que não existe toque mágico no Evangelho como se vê em desenhos infantis ou em filmes de ficção. O que existe no Evangelho são princípios que não podem ser quebrados e nestes princípios não está estabelecido passar a virada de ano na igreja.

Por favor, entenda, não estou querendo dizer que isto é ruim ou errado, mas repito que não é isto que irá fazer com que sua vida venha ser melhor. Nada vai mudar se suas atitudes forem as mesmas do ano anterior.

Digo o mesmo a respeito das campanhas que se tornaram muito difundidas em nossas igrejas dos doze dias de cultos sendo um para cada mês do ano. São momentos maravilhosos, que inclusive gosto de participar, adorar a Deus durante doze dias, pedir a Deus um mês maravilhoso em cada dia. Tudo muito bom, mas não adianta nada pedir coisas a Deus durante doze dias e nos outros 353 dias do ano não viver os princípios da Palavra.

Adore a Deus com sua vida todos os dias para que venha surtir efeito sua atitude da virada e sua atitude da Campanha dos doze dias. Ano novo, atitudes melhores.

Comentar